05/08/06

HERMANAS GUATEMALTECAS... deusas das bolas gigantes


Hermanas Guatemaltecas
Blog novela
Episódio 1
Rede CANASTRA de Televisão




A prima da locutora(a locutora estva com gripe) anunciou em voz estridente:

-Senhoras e senhores,meninas e meninos,respeitável público...
O exercicio que vão ver de seguida é muito arriscado e dificil.
Peço-vos por isso que não tentem repeti-lo em casa.
Convosco:- HERMANAS GUATEMALTECAS..!!!

A cortina abriu-se a orquestra começou a entoar músicas de Sarita Montiel.
Vivivane e Dores chegaram ao meio da pista do Circo Mariano levantaram o pézito direito arreganhado o calcanhar do chão,enquanto com os braços seguravam a capita em cetim, com uma golazita em astrakan legitimo.
É certo que as golas estavam a perder pêlo mas as falhas constantes de energia na roulotte, impediam o frigorifico de manter a pele gelada e a pilosidade agarrada.
Feitas as vénias e arrecuas ao meio e á volta da pista,eis que chegam as duas bolas de 2 m de diametro,azulonas,sarapintadas de pó, brilhantes como se de uma joia se tratasse
Nelson, auxiliar de cena e literalmente pau-para-toda-a-obra, como adiante veremos, já tinha colocado as bolas no começo da rampa que se elevava a 5 m de altura.
A orquestra desta vez atacava-lhe com um mariachi,enquanto já sem capas, Viviane e Dores de sapatilhas de balet rosa shocking subiam,como convém, cada uma para sua bola.
O público ficou suspeso,os pézinhos encarquihados,embora no caso de Dores a sua medida fosse um 41 bem aviado,tomando a forma da própria bola gemiam os primeiros movimetos.
Aos poucos,devagarzinho,muito lentamnete a enorme bola começa a deslocar-se..
-Hei! Exclama a prima da locutora que também já estava fungosa.
As enormes bolas deslizam agora, já sem paragens, iniciando a subida da rampa.
Viviane,mais artistica abana as asas qual rolita inquieta, enquanto Dores,sorri exibindo a branca cramalheira, que ainda não acabou de pagar ,toda em porcelnato,mas do melhor.
-Bravo! exclama a outra gaja de novo.
Os miúdos estão deslumbrados enquanto os pais se pergumtam como é que duas velhas daquela idade e compleição são capazes de tamanha artimanha.
É certo que Viiane, numa das suas zangas sasonais com Dores tinha tentado nadar com os corcodilos num tanque transparente,mas, o pobre animal nem se mexia.A direcção do Circo, ou melhor, o Sr.Adelino Mariano,optaram por mantê-la neste número.
A zoada não parava e elas estava agora no alto da rampa a prepararem a viragem.
-Ai está!Muito bem! Dizia a outra sem se cansar.
O público batia palminhas,e tuca,tuca,tuca com pezinho de fada ,ai vinham elas rodando a bola com os pés.
Nelson,o tal do pau,já estava em riste, de joelho direito no chão, com as mãos esticadas para segurar as mãos das princesas das bolas.
-HERMANAS GUATEMALTECAS, senhoras e senhores,respeitável público,o mais dificil exercicio de acrobacia com bolas.
Viviane pensou de imediato após esta estúpida observação que ela bem precisava de aprender o que é verdadeira acrobacia com bolas.
De novo com a capa nas costa,voltas e reviravioltas e já estão prontos os elefantes para entrar em pista.
Viviane e Dores regressam à roulotte,mas a depararam-se com um cenário horrivel: a roulotte havia sido aberta e remexida.Estava tudo espalhado pelo chão.
Viviane quase que desmaiava,não fosse Dores a afirmar que quem quer desmaia,quem avisa mente.
A roulotte das artistas tinha sido remexida.Porquê?Quem?Como?
A D.Lenita Gentil que faz tempo actuava no circo e que dividia a roulotte com António Calvário,abraçou as duas amigas e disse com ar providencial:
-Estão a chegar...


Continua

1 comentário:

Jorge disse...

Já há algum tempo que te venho lendo com gosto.
Vou ficando a saber que por onde vais, vais bem.
Hoje por causa das Hermanas mando-te um abraço.
Até breve.