22/12/07

Antifonas do Ó

As antífonas do Ó são sete antífonas especiais, usadas no Tempo do Advento, que de 17 a 23 de dezembro e cantadas, com melodias gregorianas, antes e depois do Magnificat, na hora canônica das Vésperas. Foram compostas entre o século VII e o século VIII, sendo um verdadeiro e admirável compêndio de cristologia da antiga Igreja, sendo um resumo expressivo do desejo de salvação de toda a humanidade, tanto de Israel no Antigo Testamento, como da Igreja no Novo Testamento. São orações curtas, dirigidas a Cristo, que resumem o espírito do Advento e do Natal.Expressam a admiração da Igreja diante do mistério de Deus feito Homem, através da interjeição «Ó», a compreensão cada vez mais profunda de seu mistério e a súplica final urgente: «Vem, não tardes mais!». Aliás, todas as sete antífonas são súplicas a Cristo, a cada dia invocado com um título diferente, um título messiânico tomado do Antigo Testamento, mas entendido na plenitude do Novo:
17 de dezembro: "O Sapientia" (Ó Sabedoria, que saistes da boca do Altíssimo)
18 de dezembro: "O Adonai" (Ó meu Senhor, Guia da Casa de Israel)
19 de dezembro: "O Radix" (Ó Raiz de Jessé)
20 de dezembro: "O Clavis" (Ó Chave de Davi)
21 de dezembro: "O Oriens" (Ó Oriente, esplendor da Luz Eterna)
22 de dezembro: "O Rex gentium" (Ó Rei das Nações)
23 de dezembro: "O Emmanuel" (Ó Deus conosco)

Ó Sabedoria, Que saístes da boca do Altíssimo, e atingis os confins de todo o universo e com força e suavidade governais o mundo inteiro!
Oh! Vinde ensinar-nos o caminho da prudência!
Ó Adonai, Guia da casa de Israel, que aparecestes a Moisés na sarça ardente e lhe destes a vossa lei sobre o Sinai:Vinde salvar-nos com o braço poderoso!
Ó Raiz de Jessé, Ó estandarte, levantado em sinal para as nações! Ante vós se calarão os reis da terra, e as nações implorarão misericórdia:
Ó Chave de Davi, Cetro da casa de Israel, que abris e ninguém fecha, que fechais e ninguém abre:Vinde logo e libertai o homem prisioneiro, que nas trevas e na sombra da morte, está sentado.
Ó Sol nascente, Justiceiro, resplendor da luz eterna: Oh! Vinde e iluminai os que jazem entre as trevas e, na sombra do pecado e da morte, estão sentados!
Ó Rei das nações,Desejado dos povos; Ó Pedra angular, que os opostos unis:
Oh! Vinde e salvai este homem tão frágil, que um dia criastes do barro da terra.

Ó Emanuel: Deus-connosco, nosso Rei Legislador, Esperança das nações e dos povos Salvador: Vinde enfim para salvar-nos, ó Senhor e nosso Deus!

2 comentários:

Anónimo disse...

Que o Senhor tenha descido para abençoar a ceia de Natal e tenha trazido muita Paz e Amor para o Paulo e família que bem merecem e também sabem distribuir.
Um beijinho da amiga Helena da NAV.

Pedro disse...

... como eh possivel o sagrado e o profano andarem tao juntos nessa casa... ihihiihih... abracitos