22/02/07

CONTRA-CULTURA?


Longe vai o tempo em que o movimento gay era Contra-cultura.Como grupo interessava-lhes o mundo e a sua azafama,tudo od que se movia e fazias move-lo.Eram geralmente urbanos,grandes artistas ou simples jornalitas contribuindo para um humanismo e para a crição .

Alan Horlinghurst,numa entrevista que deu em Portugal ao Jornal de Letras mostrou-se triste com o movimento gay dos dias de hoje.Carcterizou-o de intolerante,conservador,ignorante,egoista e hedonista.

Nunca se deve fazer generalizações,mas,a verdade é que esta geração é no minimo diferente.

No Brasil a tragédia aumenta dominada pelos ditactes da moda de Miami e de New York numa versão moche.Repetem-se os modelos,sem o glamour dos USA.Enfim,uma pobreza intelectual e cultural.



Li na Revista G,também ela moche,estas linhas que me fizeram pensar.Só não concordo que não se possa fazer nada sobre isso.


(...) um amigo meu mudou-se para Frankfurt há cerca de um ano, não nos vimos durante vários meses até que finalmente ele decidiu vir visitar-me em Berlim. Fiquei muito feliz, o recebi em casa e pensei em vários programas legais para fazermos juntos com nossos outros amigos em comum. Mas, no fim, percebi que ele só veio para visitar os clubes de sexo de Berlim... Ou seja, ele sentia falta da cena sexual e não dos seus amigos. Ficamos todos chateados com ele, mas esse parece ser o caminho da diversão para os gays. O sexo sempre vem primeiro. E não há nada que você possa fazer sobre isso. (...)"(Depoimentos de Marcel Schlutt, ator pornô alemão, em entrevista à G Magazine) .
De louco,todos temos um pouco...
Sou sempre o mais descarado,o mais feio,o mais desiqueilibrado e consequentemente o mais depressivo.Isso alivia-os e impede-os de se avaliarem e de se olharem.
A maioria das pessoas que conheço,tem um opinião distorcida sobre si mesmo e a sua conduta...enfim
não toco a minha lucidez e locura por nemhuma das vossas estaveis mentes...

2 comentários:

Rosário disse...

Triste é trazer o fado no coração e na boca.

Pedro Bodyboarder disse...

... curioso... cada vez mais concordo com esse artigo da revista G... as pessoas que tenho conhecido, efectivamente só quere sexo e pouco mais... será que já existe sentimentos, partilha, etc, etc?