19/11/06




O que vestir?

Uma das coisas que a Bahia tem com muita graça é a ausência total de noção do que deve ser vestido para cada ocasião.
Trata-se antes de mais de uma coisa prática,algo que te trará conforto ou desconforto,para além de projectar uma imagem de ti mesmo agradável ou desagradável.
Não estou sujeito às tiranias em que fui criado, do que se pode e não se pode, mas tudo tem um limite.
As mulheres aqui ,sobretudo as da classe média optam geralmente pela versão "over dressed".
Acham que isso as torna chics. Ontem mesmo no aeroporto estava uma muher para embarcar,em cima de uns saltos agulha de 15 cm, com um vestido verde cintilante cheio de brilhos e um laço na cintura,como se fosse para um cocktail de embaixada em qualquer fim de tarde.
Já o seu marido, tinha optado pelos calções com muitos bolsos, a tshirt com qualquer conversseta americana,tenis e meia branca de desporto...
Imaginem quando passearam de braço dado antes do embarque.

Os homens vestem invariavelmete calções,tshirts,chinelas ou tenis que podem atingir preços exorbitantes.
Todos usam boné de pala,independentemnete da hora do dia,à mesa ou até numa igreja.Para estes o topo de gama chic é usar um camisa com botões e unsmocassins á italiana de couro beije com calça preta.
Se formos ao cinema, a roupage refina e assitiremos a um desfile de moda que vai do tactel, à seda, aos laços e maquillages variadas , aos milhares de camisas de alças de fazer jogging, aos espera-maridos em voile,etc.
A qualquer hora do dia se vêem mulheres como se fossem a um jantar formal.As próprias estrelitas Mercury e Sengalo estão sempre com roupa de cocktail a qualquer hora do dia ou da noite e cabelinhos lisos de sonho.
Deixando de lado a classe de tira ondas e de metidos,passamos ao povão.Aí tudo se torna mais divertido.
A mini-saia em ganga e a Lycra são reis ,independentemente dos penus e dos quilos que tenham.
Qualquer mulher veste o que lhe dá na gana sem qualquer ligação com a sua realidade corporal.
Se acharem que um top cerize vai bem por debaixo dos refegos debaixo dos braços,usam-no assim mesmo.
Se o cu der para montar um acapamento cigano,metem.no dentro de calça elástica de ganga, sem complexo ou inibição.Viva a Bahia,a Brandoa com sol.
Como não podia deixar de ser o meu Karma é pesado e a Zitinha apreceu-me ontem na loja com uma mini saia de ganga com folhos,cinto, top colorido,labios pintados,sombra nos olhos,unhas pintadas e chinelita de salto.
Perguntei-lhe de imeditao quem lhe tinha dado autorização para trajar assim.
Respondeu-me que tinha já tinha 12 anos.
Vou a correr ao livro do Dr.Spok para me aconselhar.
Quanto ao Teco,um grunhuzito com calçoes giantes e uns ténis maiores...
Ah, como me lembro do que minha mãe me dizia sempre:
-Pagarás com lingua de palmo.


Domingo
Todas as semanas penso invariavelmente que Domingo vou dormir a mnhã toda.Nada mais errado.
Às 5h50 já estou de olho abertto e pronto para a vida.A hora do sono é depois do almoço.Aí sim vem a tão desejada sesta que por estes tempos tem rareado.

Comuniquem ,ok?

A Prioste e o o Roger partiram ontem.Tinham vontade de ficar mais uns dias e nós de tê-los.
A única coisa que nos faz falta na Bahia são os amigos.
Promessas de regresso e uma mala cheia de novidades é a bagagem de cada um.
Tenho a certeza que saberão o que fazer com tamanhas novidades.
Não estivemos muito disponiveis por razões culinárias.
do blog do Roger vem esta letra de Milton Nascimento,

Mande notícias do mundo de lá
Diz quem fica
Me dê um abraço venha me apertar
Tô chegando
Coisa que gosto é poder partir sem ter planos
Melhor ainda é poder voltar quando quero
Tem gente que chega pra ficar
Tem gente que vai pra nunca mais
Tem gente que vem e quer voltar
Tem gente que vai querer ficar
Tem gente que veio só olhar
Tem gente a sorrir e a chorar

Próximas visitas na CASA DO PÉ DE JAMBO serão a Senhora minha mãe, Marquesa de Praia e MONFORTE, a Senhora minha irmã,Condessa de Sousel e o Semhor meu Sobrinho,Dom Lourenço Pires de Vasconcellos que chegarão para as festividades natalícias no próximo dia 18 de Dezembro.


STATUS QUO
É fácil ser socialite em Salvador. Ao contrário de Lisboa, pois para exercer a profissão é preciso ter festa. E já faz um tempo que a Maria João Savioti não recebe em grande estilo. Sim, uma festa é a arena do high society, o palco. O picadeiro. Claro que nos salões o termo socialite tem um sentido mais amplo, menos específico, quase nonsense. A ver. Para tornar-se um socialite de sucesso, não é preciso ser bonito, nem famoso, nem chique, muito menos educado ou de família tradicional. E o mais importante: não é necessário ser rico – aliás, dinheiro é o único artigo de luxo em falta no mercado jetset. De resto, é tudo na base da permuta. De jantares a viagens. Na alta sociedade, um sobrenome vale mais que mil palavras, o valor agregado a uma pessoa depende de como ela esteja vestida e por quem ela quer ser despida. A seguir, um guia prático para quem sonha em frequentar. . Seu guarda-roupa precisa ser essencialmente preto. Assim, ninguém repara se o look é repetido ou não. E se perguntarem de onde é, diga com segurança que é um Balenciaga. Ninguém precisa saber que na verdade trata-se de uma adaptação quase livre de preço semi-honesto assinada por Pedro Lourenço.. Repita as histórias ouvidas na festa anterior, mas substitua o sujeito. Você passa a ser a ação. E o verdadeiro dono da história passa a ser um predicado distante na sua vida.. Emita risadas falsas. Treine diante do espelho do lavabo para não soar tão falso assim. No high, todo mundo diz que é verdadeiro – até nas jóias. Desconfie.. Faça sinal de positivo com a cabeça, mesmo não entendendo uma palavra do que está sendo dito. . Não se preocupe em puxar assunto. O repertório é sempre o mesmo, as pessoas se repetem o tempo todo. Para parecer novidade, mude o tom da fala. Dê um peso mais dramático, ou trágico. Se não funcionar, apele para o canto. Funciona. . Aproveite a altura do som para falar, no máximo, duas frases com cada convidado. Concordância verbal e sintaxe estão fora de questão.. Não arrisque uma aproximação íntima com ninguém antes da quinta taça. E não fique no salão depois da décima. A sabedoria está na busca do equilíbrio. E na descoberta de um banheiro sem fila.. Nunca vá ao banheiro acompanhado (a). Não que alguém vá achar que você está fazendo sexo selvagem na pia, longe disso (até porque, em festa de sociedade é um zero a zero...). Aliás, a pia é o problema. Passe a mão sobre ela e descubra o que há por trás de tanta excitação entre os convidados.. Não fale com aqueles que você só tenha esbarrado uma vez na vida. Finja que nunca viu mais gordo – aliás, você não pode ser visto com gordos.. Gays são bem vistos socialmente. Tenha sempre um à mão, nem que seja para descer o zíper na hora do xixi. Gays também funcionam quando você não quer chegar sozinha a uma festa ou quando você não sabe o que vestir para parecer mais gostosa do que é e mais bonita que aquelazinha que andou saindo com seu ex-namorado empresário de capital médio.. Interessado em alguém? Antes de saber quem é, procure saber o que ela faz. Será decisivo na sua escolha.. Chegou à festa de carona? Tenha sempre um dinheiro reservado para o táxi. Não se iluda: a pessoa que te levou pode tranqüilamente te abandonar no salão. E o que é pior: te deixar conversando com aquela estilista deprimida que coloca zíper em tudo.. Evite fazer perguntas sobre a vida pessoal de alguém. Até porque tudo no high society é impessoal. Mas nunca imprevisível.

1 comentário:

Pedro Carita disse...

Olá pessoal... viva a Bahia...
é muito bom ler este blog e saber como vao as coisas pelo Pe de Jambo... as saudades por aki sao muitas e espero saber em breve se poderei visitar-vos no mes de fevereiro. Tou ansioso por comer esse pastelinho de nata...
Bjs pa todos (caco,teco,zita e paulo)